PUBLICIDADE


Afipe fez negócios milionários com ‘laranjas’ e comprou imóveis para parentes do Padre Robson, afirma MP

Uma decisão judicial arquivou as investigações dos supostos desvios de doações da Afipe.

De acordo com o Ministério Público do Estado de Goiás, vários negócios milionários foram realizados pela Afipe – Associação Filhos do Pai Eterno. Desta vez, as negociações seriam com ‘laranjas’, para a aquisição de imóveis que seriam destinados a amigos e familiares de padre Robson.

PUBLICIDADE


Essas transações teriam ficado em R$ 10 milhões, de acordo com o MP-GO, só que a Justiça determinou o arquivamento da investigação, alegando que não foi cometido nenhum crime.

Desde o início das investigações que padre Robson sempre negou as acusações. O portal G1 entrou em contato com o advogado de defesa do religioso e com a assessoria da Afipe para questionar a respeito dessas transações, mas ainda não obteve nenhuma resposta.

Desde a última terça-feira (06) que a investigação está suspensa após uma determinação do Tribunal de Justiça em Goiás. O Ministério Público já informou que recorrerá de tal decisão e ontem divulgou alguns documentos que mostrariam que até os integrantes da Afipe já admitiram irregularidades na associação.

PUBLICIDADE


O MP tem um relatório que teria sido feito por um ex-diretor da associação, em que ele afirma que tentou várias vezes alertar para irregularidades. Entretanto, a resposta que ele recebia é de que realmente estava errado, mas se o padre Robson mandou fazer, então seria feito.

A Afipe chegou a divulgar um comunicado afirmando que não tem informações a respeito da gestão anterior e que a nova diretoria tem uma “postura ética e em respeito ao seu devoto“.

PUBLICIDADE


Autor