PUBLICIDADE

Antes de prestar depoimento comprometedor, empregada recebeu mensagem de Monique: ‘não nos abandone’

Mensagens foram recuperadas do telefone de Monique.

A defesa de Monique Medeiros tenta argumentar que a diretora escolar teve medo do namorado, o vereador Jairo Souza, e que por isso teria concordado em mentir no depoimento policial. No entanto, os investigadores possuem evidências que apontam outra direção.

PUBLICIDADE

Mensagens recuperadas dos aparelhos telefônicos de Monique, que foram apreendidos como parte da investigação, revelam que ela entrou em contato com Rosângela de Souza, que trabalhava como empregada doméstica no apartamento da família.

Em seu primeiro depoimento, Rosângela negou ter testemunhado situações estranhas ou qualquer agressão a Henry. Depois disso, ela recebeu mensagens de texto de Monique, em que dizia: “Amo você, Rosa. Parece que você é da minha família. Obrigada por seu carinho”.

Rosângela respondeu agradecendo e logo mencionando o trabalho que fazia. Dois depois dessa troca de mensagens, Rosângela recebeu uma intimação para prestar esclarecimentos e avisou a Monique, que respondeu da seguinte forma:

PUBLICIDADE

“Dorme bem. E não nos abandone. Você, mesmo por pouco tempo, já faz parte das nossas vidas. Só não perde a fé. Ore por nós”, disse Monique. “Durma bem também! Eu não vou abandonar. Vou orar sempre. Beijos”, respondeu Rosângela.

Naquela ocasião, Rosângela mais uma vez mentiu em suas declarações aos investigadores. A funcionária apenas revelou já ter presenciado situações estranhas na casa, de briga e gritaria, depois, em seu último depoimento.

PUBLICIDADE

Para a polícia, Monique agia para proteger a si mesma e também a Jairinho. A defesa tenta um novo depoimento e já chegou a acionar o Ministério Público.

Autor