PUBLICIDADE


Após invasão e sequestro, Globo afirma que ataque ‘não teve conotação política’

Após homem invadir a Globo Rio e fazer repórter de refém, emissora emitiu nota falando sobre o caso e desmentindo motivações políticas

Um caso ocorrido na tarde da última quarta-feira (10), teve enorme repercussão nas redes sociais, e milhares de internautas debateram e até mesmo discutiram sobre a razão do atentado.

PUBLICIDADE


Um homem, armado e uma faca, invadiu a sede da Rede Globo no Rio de Janeiro, e fez a repórter Marina Araújo de refém. Foram momentos de grande tensão os profissionais que estavam no local ficaram desesperados ao ver a colega sendo mantida com a faca no pescoço.

O homem usava máscara de proteção no rosto, camisa preta, e um chapéu preto estilo ‘Zorro’. A polícia foi acionada, e o local foi isolado e começaram as negociações com o homem.

Segundo funcionários que estavam no local, se trata de um jovem de 20 anos, natural do Espírito Santo e que tem distúrbios mentais.

PUBLICIDADE


O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, chegou rapidamente à emissora para começar as negociações e entender a motivação do crime.

O rapaz então teria afirmado que estava ali para ver a jornalista Renata Vasconcellos, que estava de aniversário naquele dia. O coronel então deu instruções de que Renata comparecesse ao local, o que foi atendido por ela.

PUBLICIDADE


Assim que viu a jornalista o homem largou a faca e se rendeu de forma tranquila. Mais tarde a emissora emitiu uma nota, desmentindo os boatos de que ele seria um apoiador do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Ainda segundo a própria Rede Globo, o caso não teve nenhuma motivação política e se tratava de uma pessoa com problemas mentais e fixação por Renata.

A emissora agradeceu a presteza e eficiência da PM na condução do caso, e fez uma menção especial ao coronel Heitor que obteve sucesso nas negociações com o jovem que duraram cerca de 30 minutos.

Eles ainda destacaram a coragem da repórter Marina Araújo, que mesmo mantida agarrada ao homem com a faca no pescoço durante todo o tempo, se manteve tranquila.

PUBLICIDADE


Os funcionários explicaram que ele pegou a repórter ainda na entrada e por isso não pode ser barrado pelos seguranças.

Todos passam bem e ninguém ficou ferido. O homem foi preso.

Autor