PUBLICIDADE

Após a morte do menino Henry, Monique escreveu para o pai: ‘me sinto muito culpada’

Monique também trocou mensagens com a sua mãe, avó do menino Henry.

Em reportagem especial, o jornal o Globo teve acesso a novas mensagens trocadas por Monique Medeiros e correspondentes. As mensagens foram recuperadas do telefone celular da mãe do menino Henry, apreendido após decisão da Justiça.

PUBLICIDADE

A matéria divulgou uma troca de mensagens onde Monique afirmava estar se sentindo “muito culpada”. As mensagens foram trocadas com seu pai, Fernando José Fernandes da Costa e Silva, que tentou consolar a filha.

Dias após a morte do menino Henry, Monique escreveu: “Devo merecer o que está acontecendo. Tudo foram escolhas minhas. Agora estou colhendo. Me sinto muito culpada“. O pai respondeu que “todos erramos”, mas Monique continuou o desabafo: “Eu deveria ter colocado ele na cama dele, que era mais baixa. Deveria ter dormido no quartinho dele com ele“.

Monique também trocou mensagens com a sua mãe, avó do menino Henry. Nas mensagens, Rosângela Medeiros tenta também consolar a filha e pede que Monique se entregue a Deus. “Dizia para o Henry que ninguém o amava mais que você. E eu lhe digo, ninguém a ama mais que eu. Quero estar com você. Não me deixe estar longe de você. Eu lhe peço. Vamos juntas despedir do Henry“, escreveu.

PUBLICIDADE

Mãe quer sempre educar mesmo que, muitas vezes, nos parece errado. Te amo. Isso tudo vai passar. Entregue a Deus a sua vida e espera a recompensa“, ainda escreveu Rosângela.

O CASO

PUBLICIDADE

Monique está presa acusada de acobertar as agressões sofridas pelo filho, o menino Henry. Para a polícia, não restam dúvidas de que Jairo Silva, o vereador do Rio, agrediu o menino Henry, de 4 anos, até a morte. Monique tenta agora mudar o entendimento dos investigadores sobre a sua participação nos fatos.

Em carta, ela afirma que não tinha conhecimento de que Jairinho agredia seu filho. Monique alega que o namorado sempre negou e que sempre tinha explicações. A professora também afirma que era agredida e que sofreu no relacionamento, afirmando que era manipulada a todo momento por Jairinho. Ela alega que não encontrou o menino Henry, que estava dormindo e foi acordada por Jairinho – ela nega que soubesse, enquanto corria para o hospital, que o filho já estava morto.

Autor