PUBLICIDADE


Atualização das autoridades libanesas aponta que já passa de 100 o número de mortos e 4 mil feridos

As autoridades ainda não têm certeza sobre o que causou o acidente, mas uma das principais suspeitas é a respeito de um armazém de nitrato de amônio.

O mundo ficou em choque na tarde de ontem, quando uma explosão de imensas proporções aconteceu em Beirute, no Líbano. A zona portuária da cidade ficou devastada e os danos puderam ser sentidos mesmo a quilômetros de distância.

PUBLICIDADE


O número de mortos e feridos segue sendo atualizado e o governo publicou recentemente os dados obtidos até então. De acordo com as autoridades libanesas, já são mais de 100 mortos em decorrência das explosões. O número é confirmado pela Cruz Vermelha.

As autoridades ainda não têm certeza sobre o que causou o acidente, mas uma das principais suspeitas é a respeito de um armazém de nitrato de amônio. A substância vinha sendo guardada de forma irregular no local, em grandes quantidades.

Michel Aoun, presidente do Líbano, antecipou que Beirute deve declarar estado de emergência. A cidade vai ter direito a acessar um fundo de emergência para lidar com a tragédia. O presidente também fez duras críticas ao armazém.

PUBLICIDADE


As informações iniciais apontam que o componente químico estava sendo guardado há pelo menos 6 anos. No momento da explosão, havia cerca de 2.750 toneladas de nitrato de amônio no local. A princípio, falou-se em uma fábrica de fogos de artifício, mas a informação não foi confirmada.

Muito se falou em um possível ataque terrorista, mas ainda não há evidências de que tenha sido esse o caso. O país vive em zona de tensão e já foi alvo de ataques terroristas no passado.

PUBLICIDADE


Autor