PUBLICIDADE


Boa notícia! Clima deve conter nuvem de gafanhotos antes de chegar ao Brasil

Nuvem de gafanhoto avança para o Brasil, mas clima pode ser uma solução para a praga.

Após o Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar) da Argentina dar um alerta dizendo que uma nuvem de gafanhotos está se aproximando das lavouras do Rio Grande do Sul, uma boa notícia chega ao Brasil.

PUBLICIDADE


A Somar Meteorologia anuncia que o clima pode influenciar positivamente e ajudar a dissipar a formação dos insetos antes mesmo de poderem chegar ao país.

Segundo Pryscilla Paiva, editora do tempo do Canal Rural, existe a expectativa de que chegue ao estado uma frente fria nos próximos dias, a qual pode inibir a migração.

Conforme dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), já existem nos campos de lavouras a espécie gafanhoto. Porém, o tempo seco e quente junto da diminuição dos inimigos naturais (causados pelo uso de agroquímicos) formam uma combinação que pode gerar surtos da praga.

PUBLICIDADE


Pryscilla diz na previsão que existe uma onda de calor em grande parte da América do Sul, entretanto, para os próximos dias há uma entrada de frente fria.

Também explica que algumas cidades ao sul do estado do Rio Grande do Sul, houve chuvas com mais de 70 milímetros em 24 horas, que representa 60% da média climatológica em outras regiões.

PUBLICIDADE


Além da frente fria que está por vir, a temperatura baixa pode ajudar os agricultores a se livrarem dos insetos indesejados.

Pryscilla encerra dizendo que, conforme a frente fria vai avançando, ventos são bem comuns, então é possível que os gafanhotos sejam afastados da nuvem.

Mudança no padrão de chuva

Com a chegada desta frente fria no Rio Grande do Sul, o padrão de chuva de outras regiões do país pode ser alterado, rompendo o bloqueio atmosférico atual.

É possível que a instabilidade se espalhe pelo norte e centro do Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e sul do Mato Grosso do Sul, pelos próximos dias.

PUBLICIDADE


Importante também alertar aos produtores sul-mato-grossenses e catarinenses que os ventos podem chegar a 60 quilômetros por hora.

Na virada do mês, a frente fria alcançará mais áreas do sul de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Existe a chance de chuva com até 50 milímetros.

 

Autor