PUBLICIDADE

Bolsonaro confirma que está com covid-19, mas diz que sintomas melhoraram ‘horas depois’ de tomar hidroxicloroquina

Jair Bolsonaro afirmou que apresentou uma melhora poucas horas depois dos remédios terem sido ingeridos.

Com uma postura muito mais contida do que a habitual, Bolsonaro conversou com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada na tarde de hoje (07) e confirmou o diagnóstico de covid-19. A informação já havia sido dada como certa pela Band ontem.

PUBLICIDADE

O presidente confirmou que o teste deu positivo e informou que já vem fazendo tratamento com hidroxicloroquina desde ontem (6). Jair Bolsonaro afirmou ainda que apresentou uma melhora ‘poucas horas’ depois dos remédios terem sido ingeridos.

Para mostrar que está se sentindo bem, ele afirmou que gostaria de fazer uma caminhada, mas que acabou cedendo a recomendações médicas. O presidente vai seguir sob observação para que não haja tanto risco de uma piora inesperada.

Um dos sintomas mais assustadores da covid-19, que vem sendo relatados por pacientes e familiares de vítimas fatais, é a maneira rápida que a doença progride. Os sintomas podem avançar de moderados para graves em questão de horas e isso preocupa os médicos.Bolsonaro, apesar de não ter nenhuma comorbidade, é considerado grupo de risco por já ter 65 anos. Apesar da fala anterior de que não corre risco por seu “histórico de atleta”, os médicos precisam estar atentos e, não por menos, ele tem seguido as recomendações.

PUBLICIDADE

Ele confirmou o diagnóstico, mas também tratou de acalmar os eleitores, afirmando estar “a frente de combate”. O presidente revelou que acreditava já ter tido a doença antes, devido ao trabalho e pela maneira como está sempre interagindo com pessoas.

O presidente decidiu realizar o teste depois de apresentar sintomas da doença, inclusive febre moderada, de 38 graus. Ainda durante a conversa de hoje, ele afirmou que a febre também baixou depois do uso de hidroxicloroquina.

PUBLICIDADE

Bolsonaro tem sido criticado desde o começo da pandemia pela insistência em defender o uso da hidroxicloroquina, por conta das pesquisas que revelam a ineficácia da droga, além dos riscos que ela pode apresentar.

Assista ao vídeo:

Autor