PUBLICIDADE


‘Braço direito’ de padre Robson confessa falsificação de assinatura em extorsão de R$ 2,9 milhões

Rouane Azevedo trabalhou com o sacerdote na Afipe e foi quem entregou parte do dinheiro ao hacker que chantageou o religioso.

O padre Robson de Oliveira está sendo investigado por suspeita de desviar milhões de reais da Afipe, sendo esse dinheiro oriundo de doações feitas por fiéis do Brasil inteiro. De acordo com o G1, o religioso teve a assinatura falsificada em um documento para a compra de um imóvel de luxo em Goiânia, Goiás.

PUBLICIDADE


Rouane Carolina Azevedo Martins, conhecida por ser o ‘braço-direito’ do padre, confirmou tudo em seu depoimento, ao comentar sobre o fato do religioso ser extorquido em R$ 2,9 milhões, após um hacker ameaçar divulgar fotos de supostos casos amorosos dele.

De acordo com Rouane, a mãe do hacker estava extorquindo dinheiro do padre Robson e os criminosos, para tentarem fazer com que o dinheiro parecesse lícito, falsificaram a assinatura do sacerdote simulando a venda de uma casa de luxo para a Afipe.

A mãe do hacker chegou a ir até uma agência bancária com o contrato de compra e venda do imóvel. Rouane disse também que o banco entrou em contato com ela para saber a respeito do contrato, mas a mesma alegou que não sabia de nada. Foi então que a instituição financeira resolveu investigar o caso e descobriu que a assinatura do sacerdote havia sido falsificada.

PUBLICIDADE


Esse depoimento foi dado em 2017, quando os criminosos ameaçavam divulgar informações pessoais do padre. O G1 chegou a procurar Rouane para saber maiores informações, mas ela se manteve em silêncio.

Rouane aind confessou que fez entregas de dinheiro aos criminosos, a pedido do líder religioso. O hacker e mais quatro pessoas apontadas de envolvimento nesse esquema de chantagem foram condenadas e presas.

PUBLICIDADE


 

Autor