PUBLICIDADE

Brasil se tornará o país número 1 em mortes por coronavírus, prevê os Estados Unidos

Segundo projeção norte-americana, o Brasil baterá recordes mundiais em relação ao número de óbitos decorrentes do Covid-19 e a situação ficará bem pior do que já está.

Uma projeção feita por um modelo matemático da Casa Branca, nos Estados Unidos, mostra que se o Brasil não mudar rapidamente a situação como vem lidando com a pandemia causada pelo novo coronavírus, o país ficará em uma posição pra lá de delicada.

PUBLICIDADE

De acordo com a Casa Branca, no dia 29 de julho o Brasil deverá ter 137,5 mil mortos, enquanto os Estados Unidos terá 137 mil. Para que isto acontecesse, o número de mortes precisará praticamente quadruplicar em 50 dias, mas é bom ressaltar que um avanço assim ocorreu nestes últimos 90 dias.

No dia 9 de março eram 10 mil óbitos por causa do novo coronavírus, mas no dia 9 de junho esse número subiu para 38 mil. E a cada dia a pandemia avança ainda mais e agora está atingindo também as cidades do interior, aquelas que não contam com uma boa infraestrutura para atender os pacientes.

Essas cidades do interior precisarão encaminhar os casos graves para os grandes centros urbanos, que já estão saturados. Se a previsão da Casa Branca estiver certa, o Brasil se tornará o recordista mundial em número de mortos pela Covid-19 e também será o número 1 em mortes diárias decorrentes da doença.

PUBLICIDADE

O Brasil teria 4.071 óbitos em um dia, o que seria o dobro do recorde atual que aconteceu nos Estados Unidos em abril, quando foram registrados 2.262 óbitos. O Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde, da Universidade de Washington foi quem fez estas projeções assustadoras.

Mas não significa que o Brasil necessariamente se verá diante de um caos, tudo dependerá principalmente do comportamento dos brasileiros.

PUBLICIDADE

Quanto mais a população se cuidar, melhor será para todos, porém, o relaxamento no isolamento social pode contribuir para que a situação se agrave ainda mais nas próximas semanas, por isso cada um deve fazer sua parte.

Autor