PUBLICIDADE


Candidata a ‘Miss Hitler’ é condenada por envolvimento em grupo nazista de extrema-direita no Reino Unido

Alice Cutter, de 24 anos, foi condenada a cinco anos e meio de prisão por envolvimento no grupo extremista, de ideias de extrema-direita e nazistas, "Nation Action".

Alice Cutter, de 24 anos, foi condenada a cinco anos e meio de prisão por envolvimento no grupo extremista, de ideias de extrema-direita e nazistas, “Nation Action”. A decisão foi do Tribunal da Comarca de Birmingham.

PUBLICIDADE


Além de Alice, seu namorado Mark Jones, de 25 anos, foi condenado também a 5 anos e meio de prisão pelo mesmo motivo. Jones ainda é apontado como um dos líderes e influenciadores do movimento naquela região.

Garry Jack, 24, e Connor Scothern, 19, que também são acusados de integrar a célula nazista foram condenados. Garry vai cumprir 4 anos e 6 meses, enquanto Connor vai cumprir 18 meses pelo crime.

PUBLICIDADE


Além dos 4 condenados, um outro envolvido no grupo NA também foi condenado a 3 anos de prisão. Seu julgamento aconteceu em julho de 2019 e ele já esta perto de cumprir um terço da pena.

PUBLICIDADE


Continua na próxima página

O caso se tornou bastante conhecido pelo envolvimento de Alice Cutter, que ficou conhecida por ter participado do concurso “Miss Hitler”. Sob o apelido de “Miss Buchenwald”, em referência a um dos campos de concentração nazista, ela participou do “concurso”.

O concurso que leva o nome de “Miss Hitler” foi supostamente idealizado por um homem português, de 39 anos, que se auto-intitulo “revisionista”, mas nega o título de nazista. O concurso premia “melhor saudação nazista” e “melhor declaração de amor ao nazismo”, por exemplo.

Alice Cutter foi uma das participantes, a jovem também é acusada pela justiça britânica de tentar agenciar adolescentes de 15 para o grupo extremista. A justiça aponta que Cutter não desempenha um papel de liderança, mas que tem influência no grupo.

PUBLICIDADE


O Nation Action foi banido do Reino Unido, e considerado ilegal consequentemente, em 2016. As ações do grupo então migraram para grupos de mensagem encriptografados e outros meios. A polícia britânica vem rastreando essas reuniões e já denunciou 21 pessoas envolvidas no grupo.

Autor