PUBLICIDADE


Cantor sertanejo é preso pela Polícia Federal suspeito de desviar milhões que seriam utilizados para a compra de respiradores

De acordo com as investigações, um esquema criminoso teria sido estabelecido na Prefeitura de Guarujá para o desvio de verbas públicas que deveriam ser repassadas à saúde.

O cantor sertanejo conhecido como Almir Mattias foi detido por agentes da Polícia Federal na manhã da última quarta-feira (31) na cidade de Guarujá, localizada no interior do estado de São Paulo. Ele é acusado de integrar uma quadrilha criminosa que teria desviado milhões de reais que seriam destinados à área da saúde no município, em especial para a compra de respiradores a serem utilizados no auge da pandemia desencadeada pelo coronavírus.

PUBLICIDADE


De acordo com as autoridades policiais, uma boa parcela do montante que teria sido desviado pelo cantor sertanejo seria utilizada para o impulsionamento de sua carreira musical. Além de atuar como cantor sertanejo, Almir Matias da Silva também é empresário em São Paulo. Caso seja condenado por todos os crimes imputados pela Polícia Federal, o acusado pode pegar até 18 anos de prisão.

Os recursos desviados teriam sido repassados pela União para a compra de respiradores. Os equipamentos adquiridos no desenrolar da fraude seriam de uso proibido pelas agências nacionais de regulação por não terem a eficácia comprovada para os tratamentos contra a Covid-19.

Uma reportagem publicada pelo Fantástico, da Globo, ainda durante as investigações, revelou que Almir Mattias integraria o esquema criminoso que culminou no desvio de aproximadamente 153 milhões de reais dos cofres públicos da cidade de Guarujá. No caso do cantor sertanejo, ele, especificamente, teria desviado cerca de 109 milhões de reais. À época, o artista se manifestou em suas redes sociais alegando a sua inocência.

PUBLICIDADE


Autor