PUBLICIDADE

Caso Henry: Jairinho dava sinais de agressividade na infância

As histórias da infância de Jairinho são contadas por pessoas que seriam próximas dele nessa época.

Jairinho continua sendo alvo de interesse pelas investigações da morte do menino Henry. Novas descobertas continuam sendo feitas, agora uma testemunha foi ouvida pelo jornal Extra e contou sobre a experiência que teve com Jairinho.

PUBLICIDADE

A testemunha, que não quis se identificar, conta que estudou com Jairinho. Na época, afirma ter sido alvo de agressões diárias do vereador, que na época era uma criança. Os dois eram alunos no Ferreira Alves, Jairinho tinha 8 anos.

Ele cismou comigo do dia para a noite. Eram bandas e muitos cascudos durante o tempo que passei na escola“, lembra a testemunha. Hoje adulto, ele se lembra que sentia medo. “Eu tinha muito medo. Ele me batia com raiva. Em seguida, via no rosto dele uma expressão de prazer“.

Jairinho, na infância, tinha a fama de ser “esquisito”, afirma a testemunha. O homem se lembra que Jairinho costumava passar os recreios sozinho, olhando para o nada e que não tinha o hábito de agredir os meninos maiores.

PUBLICIDADE

Já em outra escola, dessa vez no Colégio Pentágono, Jairinho é descrito como um rapaz mimado, que ganhava tudo que queria dos pais. Dessa vez, outra testemunha é quem narra, mas também não quis se identificar.

As histórias da infância de Jairinho são contadas por pessoas que seriam próximas dele nessa época, os relatos foram ouvidos pelo jornal Extra. Por conta do caso Henry, o vereador acabou tendo a vida pessoal alvo de interesse.

PUBLICIDADE

Autor