PUBLICIDADE

Caso Henry: Monique estaria escrevendo cartas dentro da prisão, relatando o lado ‘obscuro’ de Jairinho

Ela estaria escrevendo cartas.

A professora Monique Medeiros é a mãe do menino Henry Borel, morto aos 4 anos de idade. Sua morte gerou uma grande comoção no país. Henry passou os seus últimos momentos de vida ao lado da mãe do padrasto, Jairo Souza, mais conhecido como Dr. Jairinho. Um laudo realizado pelo IML (Instituto Médico Legal) apontou que o menino teve diversas fraturas gravíssimas ao redor de seu corpo. Um grande mistério se iniciou sobre o porquê a criança chegou sem os seus sinais vitais ao hospital.

PUBLICIDADE

E após uma intensa investigação sobre o caso, as autoridades anunciaram a prisão de Monique e Jairinho. Os dois estão sendo acusados de atrapalharem o bom andamento do caso, coagindo testemunhas e sumindo com informações importantes.

E desde que Monique foi presa, ocorreram algumas alterações cruciais em sua defesa. Ela optou por deixar de ser defendida pelo o mesmo advogado de Jairinho e seus novos advogados afirmam que ela foi vítima do vereador, vivendo um relacionamento abusivo, com agressões físicas e verbais. No qual, ela não teria o denunciado por medo.

Monique tem escrito cartas dentro da prisão. Os conteúdos dessa carta revelariam o que ela teria passado nas mãos de Jairinho, inclusive sobre supostas agressões.

PUBLICIDADE

A sua defesa continua a insistir para que ela possa prestar um novo depoimento, alegando que outras testemunhas tiveram a mesma oportunidade, como a babá de Henry e a doméstica que cuidava do apartamento.

Autor