PUBLICIDADE


Catador encontra mais de R$ 35 mil em cofre, devolve valor a polícia e mistério do cofre é revelado

Um homem se surpreendeu ao encontrar uma grande quantia em dinheiro em um cofre abandonado; descubra de onde veio o objeto e como tudo aconteceu!

O homem gritou de emoção ao descobrir que tinha achado mais de R$ R$ 35 mil reais dentro de um cofre abandonado.

PUBLICIDADE


O catador Manoel de Sá, o qual é funcionário da Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Materiais Recicláveis de Araçatuba, revelou que nunca havia visto tanto dinheiro na sua vida.

O caso foi registrado, nesta última quinta-feira, dia 27 de Agosto, pela manhã. O catador levou a quantia resgatada de um fundo falso de um cofre, o qual foi descartado pela Polícia Civil, até a delegacia. O objeto agora passará por uma perícia policial para descobrir mais sobre o ocorrido.

Manoel conta que descobriu o valor quando foi utilizar o cofre para um suporte de pia. O catador foi mexer no objeto, que estava aberto e amassado, e notou ao chutar a tampa que tinha notas separadas de R$100 e R$ 50, em um fundo falso.

PUBLICIDADE


De acordo com o trabalhador, não foi preciso usar nenhuma ferramenta para conseguir pegar o dinheiro.

Ele ainda conta como foi a sua reação quando encontrou o dinheiro:

PUBLICIDADE


“Fiquei apavorado e comecei a gritar”

No local, há 26 funcionários, o qual recebem por mês R$ 1.200 reais, sendo a renda total do galpão em torno de R$30 a R$ 35 mil reais. A quantia encontrada supriria um mês de reciclagem de materiais, mas mesmo assim, os trabalhadores não tiveram dúvida e ligaram para a polícia e devolveram toda o valor descoberto.

Manoel conta que trabalha no local há três anos e esta é a primeira vez que encontra dinheiro entre os objetos, o qual o deixa muito feliz e grato por ter devolvido o dinheiro.

PUBLICIDADE


Cofre

De acordo com o coordenador da Central de Polícia, o cofre foi encontrado após PMs receberem uma denúncia anônima, que informou que o objeto havia sido abandonado no bairro Jussara (Araçatuba), em 2018. Posteriormente, após perícia, o cofre foi descartado.

Autor