PUBLICIDADE


‘Cheguei no inimaginável’: primeira mulher trans a disputar o Miss Brasil fala sobre a experiência

Aos 25 anos, ela foi eleita pelo centro goiano e representará a região no Miss Brasil Mundo, que classifica a ganhadora para o Miss Mundo.

Rayka Vieira pode não ser um nome tão conhecido, mas no mundo das passarelas, ela tem deixado sua marca. Aos 25 anos, ela foi eleita pelo Centro Goiano e representará a região no Miss Brasil Mundo, que classifica a ganhadora para o Miss Mundo.

PUBLICIDADE


O feito de Vieira foi se tornar a primeira mulher trans a conquistar uma vaga na competição. Antes dela, Náthalie de Oliveira também fez história sendo a primeira representante trans em um concurso estadual, mas não foi eleita Miss Rio de Janeiro. Na ocasião, ela tentava vaga no Miss Universo.

A conquista vem sendo amplamente divulgada pela mídia por se tratar de um reflexo da mudança na direção do concurso, que até pouco tempo atrás só aceitava inscrição de mulheres cisgênero, ou seja, aquelas que nasceram com o corpo em conformidade a forma como se sentem.

Em 2018, o Miss Universo teve a participação da primeira modelo trans. Angela Ponce representou a Espanha na competição e, embora não tenha ganho a coroa, foi homenageada na cerimônia.

PUBLICIDADE


O Miss Brasil Mundo está previsto para março de 2021, em Alagoas. A princípio, o evento seria realizado em outubro deste ano, mas foi adiado por conta da pandemia do novo coronavírus. Em casa, Rayka se dedica à preparação para o evento.

A modelo conta que sempre se sentiu muito cobrada em tudo que fazia, inclusive por si mesma, e explica que nem todas as mulheres tem oportunidade.

PUBLICIDADE


Autor