PUBLICIDADE


Cientistas acreditam que seja possível encontrar sintomas do coronavírus através da voz

Os estudos estão sendo realizados por brasileiros e os cientistas acreditam na identificação de sintomas pela voz.

A nova doença do coronavírus que surgiu no final do ano de 2019 na China, continua tirando a vida de milhares de pessoas todos os dias ao redor do mundo e segue sem uma vacina para cura. Porém, pesquisadores de todos os países do mundo buscam incansavelmente por algum progresso na cura.

PUBLICIDADE


Recentemente os cientistas brasileiros iniciaram um novo estudo com a promessa de colocar no ar um programa de computador que vai ser capaz de agilizar o processo de identificação quando alguém for testar o Covid-19.

“Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão. Menininha, quando dorme, põe a mão no coração”, fala um paciente.

“O amor ao próximo ajuda a enfrentar o coronavírus com a força que a gente precisa”, diz outro paciente. Muitos podem não ter entendido o significado dessas frases, porém, através delas é que os pesquisadores estão estudando como as vozes podem mostrar um dos maiores sintomas do coronavírus, o problema de respiração.

PUBLICIDADE


Os testes estão sendo realizados por médicos do Hospital das Clínicas da cidade de São Paulo. Eles estão pedindo para que os pacientes já com coronavírus confirmado, pronunciem algumas frases longas que vão forçar a falta de ar.

As frases são longas justamente para tornar evidente este sintoma da doença. Depois de coletarem esses dados, os médicos comparam a mesma frase dita por uma pessoa saudável.

PUBLICIDADE


Neste processo do estudo eles contam com a ajuda de computadores ultra modernos. Existem dois padrões diferentes, para pessoas que estão doentes e as que não estão.

A inteligência artificial do computador é capaz de identificar essa diferença e é a grande promessa para um fácil reconhecimento de quem está com Covid-19 ou não. O estudo ainda está longe de ser concluído.

O coronavírus já tirou a vida de mais de 427 mil pessoas no mundo inteiro e infectou quase 7 milhões e 700 mil pessoas até o momento. No Brasil o número de casos confirmados se aproxima de 1 milhão e o de mortes já ultrapassou a casa dos 40 mil.

Autor