PUBLICIDADE


Confeiteira, de 23 anos, é morta por policiais na frente do filho de 6 anos; família acusa polícia de erro na abordagem

O tio das vítimas, identificado como João Moreira, acusa a polícia de erro na abordagem. Adolescente de 16 anos também foi baleada.

Uma mulher de 23 anos foi baleada e morta na frente do filho, de apenas 6 anos. O tiro partiu de agentes militares durante uma abordagem onde a confeiteira, Fabiana Matos, estava com o filho e uma prima, que também foi ferida.

PUBLICIDADE


De acordo com informações da Polícia Militar o carro em que a família estava foi parado e revistado, quando PMs encontraram uma arma e 5 quilos de maconha. A polícia afirma ainda que houve um confronto e Fabiana foi baleada.

O tio das vítimas, identificado como João Moreira, acusa a polícia de erro na abordagem. O homem alega que as sobrinhas não tinham envolvimento com o crime. Ele afirma que a arma e as drogas apreendidas não pertenciam às sobrinhas.

Moreira alega que a vítima em questão era confeiteira e produzia bolo de pote. A outra sobrinha, de 16 anos, que também foi baleada ajudava nas vendas dos produtos. Ele ainda ressalta que ela não confrontaria policiais, especialmente tendo o filho no carro.

PUBLICIDADE


A família afirma que o menino, de 6 anos, está abalado e não conseguiu relatar o que aconteceu com detalhes. Ele teria confirmado apenas que a polícia atirou contra a mãe. É esperado que a adolescente se recupere para dar uma nova versão dos fatos.

A Polícia Civil agora investiga o caso e também espera a recuperação da adolescente para ouvi-la em depoimento. A instituição também confirmou que nenhuma das duas tem passagem pela polícia.

PUBLICIDADE


Autor