PUBLICIDADE


Conhecido por trabalho com trans e moradores de rua, Padre Júlio Lancellotti recebe ligação do Papa: ‘não desanime’

Padre Júlio Lancellotti recebe diariamente críticas e chegou a ser ameaçado de morte pelo trabalho.

Conhecido no país, especialmente em São Paulo, pelo trabalho junto à população em situação de rua e pessoas trans da cidade, o Padre Júlio Lancellotti recebe diariamente críticas e chegou a ser ameaçado de morte pelo trabalho.

PUBLICIDADE


Ontem, por outro lado, ele recebeu um apoio inesperado. Lancellotti conversou, por telefone, com o Papa Francisco, e compartilhou a mensagem de apoio e motivação que recebeu do pontífice.

De acordo com informações da Arquidiocese de São Paulo, o papa ligou por volta das 14 horas da tarde do último sábado (10) para perguntar sobre as dificuldades que a pastoral enfrentava e também sobre as pessoas em situação de rua.

Francisco então pediu ao padre brasileiro que não desanime diante das dificuldades e continue ao lado daqueles que mais necessitam, os pobres. Este ano, o padre recebeu, pelo menos, duas ameaças de morte. Uma dessas ameaças teria partido de um policial.

PUBLICIDADE


A Defensoria Pública se manifestou alegando que se preocupa com a integridade e direito de liberdade de expressão do padre, que incomoda alguns setores da sociedade com seu trabalho humanitário. A outra ameaça foi feita por um motoqueiro.

Lancellotti acusa o candidato a prefeito de São Paulo, Arthur do Val, de comandar uma campanha de difamação contra ele. O candidato, conhecido como Mamãe Falei, do Patriotas, nega que tenha sido responsável pelas ameaças.

PUBLICIDADE


Pelas redes sociais, o pré-candidato já chegou a chamar o padre de “cafetão da miséria” e foi condenado pela Justiça a remover as postagens em que cita o religioso.

Autor