PUBLICIDADE

Criança de 11 anos escreve bilhete para denunciar abusos que estavam sendo cometidos pelo próprio padrasto

Criança de 11 anos escreve bilhete para a mãe revelando abuso do padastro.

Uma garotinha de apenas 11 anos cometeu um ato corajoso ao mandar um bilhete para sua mãe, dizendo que seu próprio padrasto estava fazendo coisas ruins com ela, “mexendo” com ela. No papel, estava escrito “Mãe [nome do suspeito] ‘meche’ (sic) comigo”. O recado dado à mãe foi divulgado pelo G1.

PUBLICIDADE

Por causa do bilhete, o padrasto, que tem 36 anos, foi preso em flagrante e vai ser indiciado como estupro de vulnerável. O caso aconteceu na Praia Grande, que fica no litoral do estado de São Paulo.

Segundo o que foi divulgado pelo site do G1, a mãe da criança decidiu se esconder dentro da própria casa depois que recebeu esse bilhete da filha. A moça já estava bastante desconfiada do crime, após perceber uma mudança de comportamento vindo da filha.

Então, ela decidiu criar um plano e acabou fazendo o flagra do rapaz no quarto junto com sua filha e, logo em seguida, ela conseguiu levar o caso para à polícia.

PUBLICIDADE

O homem acabou sendo preso em flagrante nesta última quarta-feira, dia 15 de julho, no bairro Jardim Trevo. Mas, mesmo com tantas provas, o suspeito se nega a admitir o crime.A mãe da menina contou em detalhes à polícia que após ler o bilhete de sua filha e suspeitar que o crime estava sendo feito embaixo do seu próprio teto, ela decidiu falar para seu esposo que estava indo trabalhar. Mas, na verdade, ela estava se escondendo dentro da casa.

A mulher contou que ficou escondida, até o momento em que o rapaz forçou a enteada a entrar dentro de um quarto.

PUBLICIDADE

Após ver isso, a mulher saiu do esconderijo e foi em direção ao local. Quando ela entrou no quarto, viu o rapaz apenas de cueca ao lado da criança e parecia que ele estava tentando violentar a menina. Logo depois de ver essa cena, a mãe decidiu ligar para polícia e o homem foi preso em flagrante.

Em sequência, a menor de idade passou pelo Instituto Médico Legal (IML), local em que foi confirmado que houve o crime. Segundo exames feitos, foram confirmadas lesões de abusos que ocorreram anteriormente, de acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil. Isso significa que a situação vem ocorrendo há algum tempo, de acordo com o delegado.

Autor