PUBLICIDADE

Delegado afirma que Monique decidiu proteger Jairinho mesmo após saber de agressões contra Henry: ‘Pediu para apagar mensagens’

Novidades sobre o caso Henry.

Recentemente, a mãe de Henry Borel, morto aos 4 anos de idade, Monique Medeiros, que está presa acusada de atrapalhas às investigações do caso do próprio filho e de ter agido de maneira omissa na vida da criança, anunciou que trocou de advogados, deixando de ser defendida pelo mesmo advogado que o seu namorado, o vereador e médico, Jairo Souza, conhecido como Dr. Jairinho. Jairinho também está preso e é o principal suspeito de ter matado o menino.

PUBLICIDADE

Os novos advogados de Monique afirmaram que mudariam suas estratégias e que passariam a trabalhar com a verdade. Com isso, pela primeira vez, é dito que Monique seria uma grande vítima nesta história. De acordo com sua defesa, ela estaria vivendo em um relacionamento abusivo com o vereador, sendo vítima de agressões físicas e verbais. Além disso, eles alegam que a professora apenas agiu de maneira omissa na morte do filho devido a ter medo do político.

Neste momento, sua defesa está pedindo por um novo depoimento. Desta vez, Monique Medeiros garante que irá falar toda a verdade sobre o que realmente aconteceu no dia em que seu filho morreu.

Porém, para as autoridades, não existe qualquer indício de que Monique teria sido coagida a agir desta maneira. Eles analisaram mensagens entre Jairinho e ela. Além disso, a qualquer momento ela poderia ter tido a oportunidade de dizer que era coagida.

PUBLICIDADE

O delegado, Antenor Lopes, se manifestou sobre a situação:

“A versão dela era para proteger o companheiro, Jairinho, inclusive pedindo para a babá apagar as mensagens que indicavam as agressões ao menino”.

PUBLICIDADE

Autor