PUBLICIDADE

Diretor do filme de Richthofen ‘quebra o silêncio e revela como era Carla Diaz nas gravações: ‘parecia possuída’

Carla Diaz tem sido um dos assuntos mais comentados em todo Brasil.

Carla Diaz se tornou o assunto um dos assuntos mais comentados em todo o Brasil, todo mundo ficou de olho quando a atriz foi eliminada no paredão falso.

PUBLICIDADE

O que Carla Diaz iria assistir e ouvir? Com as informações que tem como vai agir dentro do game? A atriz foi duramente atacada pelos confinados em diversas ocasiões e na maioria das vezes afirmavam que ela era boazinha demais com todos e que não existem pessoas assim.

Uma das pessoas que conhecem bem Carla Diaz é o diretor de cinema Mauricio Eça, que esteve com a atriz nas gravações dos filmes ‘A Menina que Matou os Pais’ e ‘O Menino que Matou Meus Pais’ que são baseados em um dos crimes que mais impactou o Brasil.

Trata-se do assassinato do casal Richthofen, em 2002, na cidade de São Paulo, nas duas produções Carla Diaz foi a protagonista a estreia dos filmes deve acontecer ainda em 2021.

PUBLICIDADE

De acordo com Mauricio Eça muitas atrizes conhecidas e anônimas foram convidadas para realizar o teste, porém, segundo ele assim que viu Carla no teste teve certeza que seria ela.

Eça revelou que Carla Diaz sempre foi uma pessoa dócil, preocupada com todos e que a alegria dela compensava a densidade e o peso da história nos bastidores da gravação. Porém, na hora que começavam as gravações e em frente às câmeras Carla Diaz “parecia possuída”. Ela realmente foi impressionante e interpretou o papel magnificamente, reforçou o diretor.

PUBLICIDADE

 

Autor