PUBLICIDADE


Ex-advogado da família Bolsonaro, Wassef volta atrás e admite que escondeu Queiroz para protegê-lo de uma ameaça de morte

Frederick Wassef negou diversas vezes que sabia do conhecimento do paradeiro do ex-assessor, mas agora voltou atrás.

O paradeiro de Queiroz sempre foi uma grande incógnita desde que as investigações das rachadinhas começaram a se aproximar do ex-assessor e motorista de Flávio Bolsonaro. A família Bolsonaro sempre negou ter conhecimento do paradeiro do ex-assessor.

PUBLICIDADE


O ex-advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, também negou diversas vezes que sabia ou tinha conhecimento do paradeiro do ex-assessor, mas agora voltou atrás e reconheceu que escondeu Queiroz para protegê-lo depois de ameaças de morte.

Wassef também afirmou que o plano de matarem Queiroz era uma ideia articulada para culpar o presidente Jair Bolsonaro. Por isso, atribuindo as ameaças à “forças ocultas”, sem revelar quais seriam essas forças, Wassef confirmou que sabia onde Queiroz estava.

A declaração do advogado também foi no sentido de que o presidente Jair Bolsonaro não sabia de nada e que a decisão de esconder o ex-assessor foi tomada apenas por ele. Ele não informou as datas exatas de quando Queiroz ficou em sua casa.

PUBLICIDADE


Wassef também foi além e atribuiu a investigação a João Doria e Wilson Witzel, como um tipo de conspiração para atacar a reputação do presidente Jair Bolsonaro. A investigação, no entanto, é coordenada pelo Ministério Público do Rio e Justiça;

Queiroz é considerado uma das peças-chave na investigação contra as rachadinhas atribuídas a Flávio Bolsonaro. O Ministério Público do Rio acredita que Flávio ocupe uma posição de chefia em uma organização criminosa do Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE


Espera-se que Queiroz explique algumas transferências bancárias que estão sendo alvo de investigação. O ex-assessor desapareceu assim que as investigações começaram a se aproximar do então deputado Flávio Bolsonaro. A prisão abalou algumas estruturas do governo.

Até esse momento, Wassef chegou a negar conhecimento do paradeiro de Queiroz em pelo menos quatro chances anteriores. Os caminhos da investigação agora começam a se aproximar de respostas que são extremamente importantes sobre o esquema das rachadinhas para chegar, de fato, a alguma conclusão.

Autor