PUBLICIDADE


Filho adotivo de Flordelis abre o jogo em depoimento, diz que tinha relação íntima com a mãe em seu quarto e conta o que ela fazia com as filhas

A Polícia Civil encaminhará copia do inquérito à Câmara dos deputados.

A morte do pastor Anderson do Carmo vem sendo investigada há mais de um ano, e agora em agosto, a Polícia Civil conclui os inquéritos e apontou a deputada federal Flordelis, cantora evangélica e viúva da vítima, como a mandante do crime.

PUBLICIDADE


Flordelis foi indiciada por homicídio triplamente qualificado, mas responderá em liberdade por conta da imunidade parlamentar. Porém, 6 filhos e a neta da acusada estão presos e todos serão ouvidos pelo chefe da Polícia Civil.

O crime aconteceu em 16 de junho de 2019, quando Flordelis disse que o esposo havia morrido para proteger a família de um assalto, disse ainda que ela e a vítima estavam sendo perseguidos desde a entrada da cidade. Quando levou os 30 tiros na porta de casa, o pastor Anderson estava chegando de viagem com a deputada.

Agora, o que era oculto está vindo à tona com as revelações em decorrência dos depoimentos dos filhos da parlamentar que estão presos.

PUBLICIDADE


De acordo com as declarações de um dos filhos adotivos de Flordelis, ela o procurava em seu quarto para manter relações íntimas, e além disso, oferecia as mulheres da casa para dormirem com os pastores que vinham do exterior e se hospedavam em sua casa, no Rio de Janeiro.

Segundo informou Allan Duarte, delegado titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, uma cópia do inquérito que aponta a deputada federal Flordelis como a mandante do crime do pastor Anderson do Carmo, será encaminhada para a Câmara para que medidas sejam tomadas.

PUBLICIDADE


 

 

Autor