PUBLICIDADE

Frio, medo e solidão; o relato da médica que ficou presa por cerca de 30 horas em uma ribanceira: ‘Milagre’

A médica ficou horas presa.

Mariana Fossatti, de 31 anos, é uma médica brasileira. Infelizmente, ela sofreu um acidente de carro na BR-470, na serra da região de Santa Catarina. Mariana saiu de sua casa por volta das 4 horas da manhã no dia 18 de abril e tinha o destino até a cidade de Taió, onde realizaria um plantão a partir das 7 horas da manhã.

PUBLICIDADE

Porém, tudo foi interrompido com o grave acidente. A última coisa que a médica se lembra de ter ouvido foi a música sertaneja que tocava em seu veículo.

Mariana passou cerca de 30 horas esperando por socorro. Felizmente, ela foi encontrada por um guincheiro. E de acordo com o médico que realizou o atendimento, se demorasse mais para ser encontrada, ela não iria resistir e teria morrido.

A médica conta que no dia do acidente era a terceira vez que iria para Taió. Tinha chovido no dia anterior, a pista ainda estava molhada e a neblina embaçava sua vista. E ao pensar que tinha visto um cachorro na pista, acabou perdendo o controle de seu carro, o que ocasionou o acidente.

PUBLICIDADE

Quando acordou, Mariana estava presa dentro do carro. O veículo havia capotado e caído em uma ribanceira. A médica não conseguiu sair do carro, ficando mais de um dia presa. Conforme o tempo passava, sua situação piorava e ela sentia cada vez mais frio. Os estilhaços do vidro começaram a cair sobre ela.

A médica revela que pensou que iria ser encontrada logo, pois alguém avisaria sua falta no serviço e ela teria enviado a sua localização para os seus pais. Porém, o sinal não estava funcionando e os seus pais não foram avisados de sua falta.

PUBLICIDADE

Felizmente, ela conseguiu ser encontrada por um guincheiro que foi avisado da situação pelos próprios pais de Mariana que ao notarem sua falta, decidiram refazer o trajeto que a médica tomou.

Todos definem como um milagre terem encontrado Mariana a tempo.

Autor