PUBLICIDADE

Governo de São Paulo anuncia que Instituto Butantan vai produzir vacina contra Covid-19

Governador Dória anuncia que Instituto Butantan vai começar produzir vacinas em parceira com laboratório Chines

Governo de São Paulo anuncia que Instituto Butantan vai produzir vacina contra Covid-19.

PUBLICIDADE

João Dória (PSDB), governador do estado de São Paulo, por meio de uma publicação, noticiou que o Instituto Butantan, em parceria com o laboratório internacional Sinovac Biotechm vai começar a fabricar vacinas contra o novo coronavírus, que está na fase final dos testes.

Segundo a publicação de Dória, se trata de um dia histórico para a ciência paulista e brasileira. Na postagem a nota acompanha um vídeo onde o governador esta junto com  Dimas Tadeu Covas, que presidente do Instuto Butantan.

Dória disse que a vacina estaria na terceira fase de testagem, antes de ser registrada como oficial, o que pode levar um ano ou mais para ocorrer.

PUBLICIDADE

Mais detalhes da pesquisa serão divulgados em coletiva de imprensa marcada para às 12h30 desta quinta-feira (11), no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul da capital paulista.

A vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech, teve aprovação nos testes clínicos realizados na China. Essa solução usa como base, versão do vírus inativo, portanto, não existe presença viva do coronavírus Sars-Cov-2 na fórmula, o que reduz significativamente riscos nesse tipo de imunização.

PUBLICIDADE

Quando uma vacina é produzida com vírus inativado, ou parte deles, há uma garantia maior de que ele não consiga se espalhar no sistema. Esse sistema é o mesmo utilizado para a fabricação das vacinas contra a influenza (gripe), a hepatite.

Nestes casos, a vacina faz uma implantação de um tipo de ‘memória celular’, que faz com que a imunidade de quem recebeu a vacina seja ativada.

O laboratório Sinovach Biotech, que teve autorização para fazer a testagem da fórmula da vacina em humanos no mês de abril, tem sua sede em Pequim na China, é uma empresa afiliada do estatal Grupo Farmacêutico Nacional da China.

Além desta fórmula, há pelo menos cerca de outras 133 fórmulas de vacinas sendo estudadas no mundo, várias também em fase de testes clínicos.

PUBLICIDADE

Ainda assim, especialistas estimam que a vacina efetiva só estará disponível em 2021.

Autor