PUBLICIDADE

Homem consegue direito a indenização de R$ 5 mil depois de enterrar o pai com as próprias mãos; processo se arrastava há anos

Em um primeiro momento, a justiça havia determinado o pagamento de uma indenização de R$ 15 mil, mas o município recorreu.

Um homem de Ipatinga, em Minas Gerais, conseguiu, depois de quase 4 anos em disputa judicial, o direito a uma indenização de R$ 5 mil. Ele moveu ação contra a prefeitura depois de ter sido obrigado a enterrar o próprio pai.

PUBLICIDADE

O homem moveu uma ação por danos morais e pedia R$ 200 mil, mas a história realmente é revoltante. Depois de perder o pai, ele entrou em contato com a prefeitura e pagou o valor de R$ 216,90 para que seu pai fosse enterrado.

Ele arcou com os custos de transportar o corpo, mas ao chegar no cemitério percebeu que os coveiros não estavam lá. O homem havia marcado hora, mas os coveiros não apareceram. No fim das contas, ele mesmo precisou enterrar o pai.

A prefeitura, por sua vez, alegou que o sepultamento havia ocorrido em um domingo, dia em que apenas um funcionário trabalha no cemitério. Por conta disso, não havia ninguém para prestar o serviço já que este funcionário estava de folga, alega a prefeitura.

PUBLICIDADE

Em um primeiro momento, a justiça havia determinado o pagamento de uma indenização de R$ 15 mil, mas o município recorreu e conseguiu que o valor fosse reduzido para R$ 5 mil. Vale observar que o caso aconteceu em 2017.

O caso chegou a ser erroneamente publicado como caso de covid-19, pelo portal UOL, mas foi posteriormente corrigido. Como o falecimento aconteceu em 2017, nem sequer havia a possibilidade de ter sido causado pela infecção.

PUBLICIDADE

O que realmente aconteceu foi que o caso se arrastou na justiça por todo esse tempo, encerrando com um valor muito abaixo daquilo que o homem e seu advogado pediram. O caso tem chamado a atenção e gerado revolta.

Para muitos internautas, o caso demostra como a justiça nem sempre consegue cumprir sua função. O caso aconteceu em 2017 e só agora o homem finalmente pode virar essa página e seguir adiante.

Autor