PUBLICIDADE


Idosa de 71 anos morre depois de ser atropelada; motorista alega ter confundido a vítima com um saco de lixo

Catley alega que chovia no dia do acidente e que havia pouca visibilidade porque já era de noite.

O cidadão inglês Ian Catley enfrenta o tribunal depois de ser acusado de homicídio. O homem atropelou e matou uma idosa de 71 anos. Sua alegação de defesa, no entanto, acabou ganhando as manchetes dos jornais por ser inimaginável.

PUBLICIDADE


Catley alega que chovia no dia do acidente e que havia pouca visibilidade porque já era de noite. A idosa estava caída na pista e o motorista alega que a confundiu com um saco de lixo e, por isso, decidiu acelerar em linha reta mesmo.

Jacqueline Bradnick foi atropelada e morreu no local. Em depoimento, uma testemunha alega que viu o momento em que a idosa foi arremessada ao alto e, já caída no chão, ainda foi atropelada mais uma vez antes da chegada do socorro.

A promotoria afirma que Catley foi imprudente no momento do acidente e que outros carros desviaram de Jacqueline, mostrando que ele poderia ter sido mais cuidadoso. Ele também é acusado de ter abandonado a cena do acidente sem prestar socorro à vítima.

PUBLICIDADE


A vítima foi submetida a um exame de sangue que apontou que ela estava bêbada, o que pode explicar o porquê de estar no chão no meio da pista. Catley também se submeteu a teste, que provou seu estado de sobriedade no momento do acidente.

O episódio acabou chamando a atenção e se tornando um caso de grande repercussão no país. Se condenado, o motorista pode pegar até 5 anos de prisão.

PUBLICIDADE


Autor