PUBLICIDADE


Igreja Católica afasta padre Robson das funções religiosas diante das investigações

Com a decisão da arquidiocese de Goiânia, o padre está proibido de realizar atividades religiosas, como pregações e aparições em TV.

Investigado por supostos desvios de dinheiro, o padre Robson já havia anunciado afastamento de suas atividades, mas agora a Igreja Católica decidiu oficialmente afastá-lo de suas funções religiosas de modo temporário.

PUBLICIDADE


Com a decisão da arquidiocese de Goiânia, o padre está proibido de realizar atividades religiosas, como pregações, absolvição de pecados, realizar ou participar de eventos na internet ou protagonizá-los. O decreto vale até o primeiro mês de 2022.

A Igreja tenta se prevenir assim de escândalos envolvidos no suposto esquema de desvio de doações orquestrado pelo padre Robson. De acordo com investigações do Ministério Público, cerca de R$ 120 milhões foram usados indevidamente.

Padre Robson já havia anunciado seu afastamento das funções administrativas, mas agora está formalmente impedido de também praticar suas funções religiosas. Em comunicado, ele afirma que aceita “com humildade” a determinação.

PUBLICIDADE


De acordo com a investigação do Ministério Público, o padre se apropriou indevidamente de recursos financeiros arrecadados através de doações. Os valores eram parte de doações entregues por fiéis para a finalidade de compra de imóveis.

A investigação teve início quando, em 2018, o padre fez uso de recursos da Afipe após ser vítima de uma extorsão. O valor pago foi de R$ 2 milhões e chamou a atenção das autoridades. O padre admite que pagou com dinheiro da Afipe, mas com a companhia de policiais que acompanhavam o fato.

PUBLICIDADE


O caso acabou resultando na abertura da investigação que se tornou a “Operação Vendilhões”, que por sua vez resultou na investigação contra o padre.

Autor