PUBLICIDADE


Jovem de 25 anos morre após despencar de mais de 100 metros ao saltar de ‘bungee jump’; outras 15 pessoas saltaram no mesmo dia

No mesmo dia em que Adam morreu, inclusive, outras 15 pessoas saltaram antes dele e não sofreram nenhum tipo de acidente.

Uma experiência radical que deveria se tornar uma memória positiva e alegre para ser revisitada, acabou se tornando tragédia. Adam Esteves Gomes, de apenas 25 anos, saltou do Viaduto Prainha, localizado na BR-381.

PUBLICIDADE


O local, que fica na região do Vale do Rio Doce, Minas Gerais, já havia sido palco para outros saltos. No mesmo dia em que Adam morreu, inclusive, outras 15 pessoas saltaram antes dele e não sofreram nenhum tipo de acidente.

Na vez do rapaz, no entanto, algo deu errado e Adam despencou de uma altura de cerca de 100 metros. O rapaz morreu no local, na hora em que sofreu o impacto. A polícia suspeita que houve falha  no equipamento de segurança.

O caso foi registrado na delegacia como homicídio culposo, aquele onde não há intenção de matar. Os responsáveis pela empresa que realizava os saltos foram encaminhados a delegacia e prestaram depoimento sobre o caso.

PUBLICIDADE


CUIDADOS NA PRÁTICA DO ESPORTE

A prática deste esporte, considerado radical, demanda uma série de cuidados para que seja garantido principalmente a segurança do praticante. No caso em questão, chama a atenção que Adam foi o 16º a saltar naquele dia.

PUBLICIDADE


É imprescindível que os equipamentos de segurança estejam em perfeito estado de funcionamento. O esporte consiste em salto em queda livre de grandes alturas, onde o praticante fica preso por uma corda e, ao atingir o limite dessa corda, o efeito elástico se torna responsável pelo efeito de puxar o praticante.

Autor