PUBLICIDADE


Jovem demitido durante a pandemia começa a catar latinhas na rua para pagar estudos e não desistir do sonho de ser enfermeiro

Os pais de Thiago não possuem condições financeiras de assumir as mensalidades da faculdade, mas apoiam o filho como podem.

Depois de sonhar por algum tempo em ser enfermeiro, Thiago Teixeira de Araújo, de 18 anos, se matriculou no curso. Esse passo importante foi dado em janeiro deste ano, enquanto o jovem ainda trabalhava como operador de telemarketing.

PUBLICIDADE


Naquele mês, ninguém poderia prever o que aconteceria dentro de poucas semanas. A covid-19 se alastrou, o mundo declarou emergência e as consequências da pandemia para muitas pessoas acabou sendo o desemprego.

Thiago foi um dos tantos que perderam o trabalho, mas ele tinha um sonho e não estava disposto a abrir mão dele. Como única alternativa para se virar durante esse período e não abrir mão do curso, ele decidiu catar latinha nas ruas.

Os pais de Thiago não possuem condições financeiras de assumir as mensalidades da faculdade, mas apoiam o filho como podem. A mãe está desempregada e realiza pequenos bicos, enquanto o pai trabalha como mecânico.

PUBLICIDADE


Com o dinheiro das latinhas, Thiago conseguiu pagar a última mensalidade que faltava para concluir o primeiro semestre. Os pais precisaram completar, já que ele reuniu apenas um terço do valor vendendo as latinhas. Agora a luta é para seguir com o estudos.

Sobre ter sido forçado a trancar a matrícula, Thiago diz que foi “um balde de água fria”. Sobre a escolha do curso, o rapaz afirma que se trata de “um sonho de ajudar o próximo”. Mesmo com as dificuldades, o garoto não pensa em desistir do sonho.

PUBLICIDADE


Autor