PUBLICIDADE


Jovem que deixou tudo para cuidar da avó diagnosticada com Covid-19 morreu alguns dias depois da idosa

A avó morreu no dia 23 de junho e a jovem, no dia 6 de julho.

Izabel Edimunda Bento de Oliveira, de 83 anos, moradora do Guarujá, litoral de São Paulo, foi diagnosticada positivo para o coronavírus. A neta, Luana de Oliveira, de 35 anos, estudante de pedagogia, queria ajudar a avó para que ela não passasse sozinha por um momento tão difícil, então se isolou com a idosa para estar cuidando da mesma.

PUBLICIDADE


Com o tempo, ela apresentou sintomas da doença e também foi contaminada com a covid-19. Segundo informações dos familiares, Luana morreu poucos dias após a idosa.

Lucas, o irmão de Luana, falou em entrevista que a avó morreu e em menos de duas semanas a sua irmã também faleceu. As duas moravam em Prainha Branca, que fica longe do centro da cidade.

De acordo com o irmão, Luana tinha vários problemas de saúde, mas por amar muito a avó decidiu cuidar dela para que não ficasse sozinha. A jovem tinha asma e bronquite e sabia que se pegasse o coronavírus iria correr muitos riscos, mas mesmo assim queria ajudar a avó.Lucas conta que a idosa ficou isolada quando iniciou a pandemia e os casos foram aparecendo na região. Ela era uma das pessoas mais antigas do lugar, os locais conheciam a dona Izabel, ela sempre estava conversando com vizinhos, ia à igreja, tinha muitos amigos.

PUBLICIDADE


Mas, devido à pandemia, ficou isolada com um filho de 62 anos. Todos os parentes adotaram medidas de isolamento, ela não recebia visitas e tudo era conversado pelo celular.

Lucas não sabe explicar como ela foi contaminada, pois não saía de casa, talvez possa ter acontecido alguma visita que eles não saibam.

PUBLICIDADE


Quando a senhora teve a confirmação da contaminação, a irmã decidiu cuidar da avó. Dona Izabel estava aparentemente bem, não mostrava nenhum sintoma e nenhum comprometimento no pulmão, mas o médico disse que ela precisaria ser internada e poucos dias depois ela faleceu.

Em seguida, Luana apresentou os primeiros sintomas da doença, não eram graves, mas depois de um tempo o quadro de saúde se agravou, precisou ir para UTI, foi entubada e depois disso faleceu. A avó morreu no dia 23 de junho e Luana, no dia 6 de julho.

 

Autor