PUBLICIDADE


Jovem se defende de acusações em fraude de cota em concurso da Polícia Federal, mas pede exoneração

De acordo com a denúncia, Dias teria fraudado o sistema. Pelas redes sociais, Glaucielle rebateu as acusações e reafirmou sua autoidentificação como mulher negra.

Convocada para assumir cargo referente a um concurso de 2018, Gracielle Dias acabou pedindo exoneração depois de ser alvo de denúncias por fraude. A jovem passou no concurso usando o sistema de cotas reservada para candidatos pretos e pardos.

PUBLICIDADE


Uma denúncia anônima acabou viralizando e expondo uma comparação de fotos. As imagens mostram Glaucielle no dia do exame ao lado de fotos que ela publicou nas redes sociais recentemente. De acordo com a declaração, Dias teria fraudado o sistema.

Glaucielle rebateu as acusações e reafirmou sua autoidentificação como mulher negra. Em um longo vídeo publicado no Instagram, ela conta com detalhes sua trajetória e se defende das críticas. Na publicação, Glaucielle recebeu apoio de seguidores.

https://www.instagram.com/p/CFPq1Eqj8R4/

PUBLICIDADE


Rinaldo Mouzalas, advogado da jovem, também publicou uma nota falando sobre o tema e reafirmando a autodeclaração feita durante o concurso. No texto, Mouzalas afirma que Glaucielle é “membro de uma humilde família de negros“.

https://www.instagram.com/p/CFNm4RFpbqb/

PUBLICIDADE


Pelas plataformas digitais, a acusada tem recebido críticas. Internautas apontam que Glaucielle se “caracterizou” para comparecer à banca examinadora, reforçando alguns fenótipos como cabelo encaracolado e escurecendo seu tom de pele.

Diante das denúncias, Glaucielle decidiu pedir exoneração ao lado do marido, que também era concursado na Polícia Federal. Apesar da decisão, ela não recuou em sua autodeclaração. Além disso, vale lembrar que pelas redes sociais, Glaucielle usa sua experiência para vender cursos de aprovação em concurso. No Instagram, ela conta com milhares de seguidores.

Autor