PUBLICIDADE

Luto! Menino de 7 anos morre de forma cruel, enquanto brincava na porta de sua casa, na Baixada Fluminense

Uma terrível tragédia levou a vida de uma criança enquanto brincava com os amigos

Um crime, que aconteceu nesta terça-feira (30), deixou a todos em choque, quando uma bala perdida interrompeu de forma cruel a vida de uma criança, que brincava com os amigos na porta de sua casa, no Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

Segundo testemunhas no local, o menino levou um tiro na cabeça e logo em seguida foi socorrido por seus familiares e vizinhos. Ítalo Augusto, de apenas 7 anos de idade, foi levado às pressas à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, às 20h30.

De acordo com informações dadas pela Secretária de Saúde, o jovem já chegou no local sem vida. Ainda não se tem informações sobre a origem do disparo, o motivo e as circunstâncias que ele teria acontecido.

A irmã mais velha da vítima fez um triste relato em suas redes sociais, declarando o quanto amava o irmão, a quem ela considerava como um filho. Infelizmente, Ítalo não foi a única criança a ser baleada no local. Ele é a 16ª criança a ser baleada na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, somente durante os 6 meses deste ano.

PUBLICIDADE

Veja abaixo como você pode denunciar a violência policial e outros tipos:

Você poderá denunciar por diferentes ferramentas qualquer abuso, desde agressão física a outros, confira abaixo:

Disque 100

Este número de comunicação serve tanto para conhecer, avaliar e denunciar a violação de seus direitos humanos e o sistema de proteção. Você pode ligar gratuitamente de qualquer telefone fixo ou móvel.

PUBLICIDADE

Ouvidoria de PM

Este número, que varia com cada região, recebe denúncias contra os policiais civis e militares que tenham cometido algum delito ou ato ilegal. A denúncia pode ser feita anonimamente, assim você não precisa se identificar, podendo fazer a denúncia por e-mail e até mesmo cartas.

DefeZap

Ainda há uma plataforma desenvolvida para ajudar na segurança pública e na defesa dos seus direitos como cidadão. O mesmo foi desenvolvido em 2016.

PUBLICIDADE

Autor