PUBLICIDADE


‘Mais que necessário, é recomendado’: vice-presidente Mourão expõe sua opinião sobre interrupção da gravidez de criança abusada

O caso chocou o país, mas uma parcela também se posicionou contra a interrupção da gravidez. "Mais que necessário, é recomendado", opinou Hamilton Mourão.

O vice-presidente Hamilton Mourão se posicionou acerca de um tópico que se revelou sensível a sociedade brasileira. De forma clara e direta, ele defendeu a interrupção da gestação da menina de 10 anos abusada pelo tio.

PUBLICIDADE


Mourão concedeu entrevista à BBC e falou sobre o assunto, revelando que concorda com o Código Penal brasileiro. O vice-presidente também questionou sobre como uma criança de 10 anos poderia criar um filho e sentenciou: “Isso é um absurdo”.

“Este é um crime que foi cometido contra essa criança”, afirma Mourão sobre o abuso. O caso chocou o país, mas uma parcela também se posicionou contra a interrupção da gravidez. “Mais que necessário, é recomendado”, opinou Hamilton Mourão.

O caso é um dos mais sensíveis e comoventes que o Brasil lidou neste ano. Apesar disso, da sensibilidade do caso por se tratar de uma criança de 10 anos, militantes bolsonaristas mobilizaram contra o aborto, como o caso de Sara Giromini, conhecida como Sara Winter.

PUBLICIDADE


Sara divulgou, através de suas redes sociais, com longo alcance, dados privados da criança. Com essas informações, um grupo de manifestantes chegou a se posicionar na frente do hospital onde a menina era tratada, gritando insultos à menina e também ao corpo médico.

Sara, assim como outros internautas que foram identificados compartilhando dados da criança, podem ser criminalmente punidos. A lei brasileira proíbe que crianças e adolescentes tenham dados, ou a imagem, expostas dessa forma.

PUBLICIDADE


Autor