PUBLICIDADE


Menino que vendia mousse de limão na rua para comprar celular e assistir aulas onlines ganha o aparelho de presente e comemora: “Me senti no céu”

O garoto ficou muito feliz quando recebeu como presente o aparelho celular, que foi doado por um cliente e o dono da padaria.

André Luiz Novaes Rocha, de 13 anos de idade, é estudante e, devido à pandemia, suas aulas estão sendo online, mas o rapaz não tinha como assistir aos conteúdos. Por ele não ter um celular, estava perdendo grande parte das matérias, então o menino decidiu sair às ruas e vender mousse, para poder comprar um mobile e participar das transmissões.

PUBLICIDADE


Entretanto, André foi surpreendido e ficou muito feliz quando recebeu como presente o aparelho celular, que foi doado por um cliente e pelo dono de padaria. O caso aconteceu em Abadia de Goiás, na região metropolitana de Goiânia.

André disse que se sentiu “no céu”, já que o celular era a coisa que ele mais queria para poder continuar estudando. A criança mora com Laura Silva da Rocha, de 25 anos, a tia dele, a quem chama de mãe. O menino foi criado desde pequeno por ela e considera também o tio como pai. Ele vive com dois irmãos, um de 5 anos e outro de seis meses.

André saía pelas ruas vendendo mousses de diversos sabores para ajudar financeiramente a família em casa e também poder arrecadar o dinheiro para comprar o celular, pois queria continuar os estudos em meio à pandemia.André disse que vendia mousse de maracujá, de limão, entre outros, andava pelas ruas e batia de porta em porta para fazer as vendas. O dono da padaria, seu Ivan, ficou sensibilizado com a atitude do garoto, por ter vontade de estudar, mas não conseguir porque estava faltando o celular.

PUBLICIDADE


Seu Ivan se uniu com um freguês da padaria, os dois compraram um celular e deram de presente para André. O jovem conta que tinha um aparelho em casa, mas por ser muito velho e pequeno ele não conseguia ler as letras direito, entretanto agora com o celular novo ele assiste às aulas e já está ansioso para iniciar o segundo semestre.

O dono da padaria, Ivan Ivo Joaquim Olímpio, de 48 anos, disse que André Luiz foi em seu estabelecimento vender mousse e, ao perguntar o que ele faria com o dinheiro, o menino contou que era para comprar um celular para continuar estudando.

PUBLICIDADE


Aquilo emocionou seu Ivan, que decidiu dar um celular de presente para André. O comerciante conta que se lembrou de quando era pequeno, já que também vendia coisas na rua.

Então o homem fez uma postagem nas redes sociais contando do episódio do jovem, pedindo ajuda para localizá-lo e uma internauta se ofereceu para dividir o valor do celular. Assim, ambos compraram o presente para o menino e o localizaram para entregar alguns dias depois.

Autor