PUBLICIDADE

Moro presidente? Movimento quer virar partido para apoiar ex-ministro

Movimento ‘legalista sem ser extremista’ quer virar partido e apoia Moro candidato.

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, exonerou o seu cargo e anunciou em uma entrevista ao vivo que estava deixando o comando desta pasta do governo Bolsonaro, alegando divergências administrativas com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Desde então ele tem sido alvo de especulações sobre sua candidatura a algum cargo político, como o de presidência, por exemplo. Agora um movimento político “de defesa da Constituição e das instituições brasileira” acaba de ser criado por empresários do sul do país, inclusive recebendo o título de “Cidadão Democrático de Direito”.

De acordo com os fundadores do grupo, o objetivo principal é transformar esse movimento em um partido político já para as próximas eleições do ano de 2022, tendo inclusive Sergio Moro como candidato deles. Essas informações foram veiculadas pelo jornal Folha de S.Paulo, em uma coluna da jornalista Mônica Bergamo.

É válido ressaltar que esse novo grupo, já teve Rosangela Moro, esposa do ex-juiz, como advogada de defesa no ano de 2018. De acordo com Fábio Aguayo, um dos idealizadores do grupo, Rosangela fez defesas de casos pontuais que foram necessários em momentos eventuais.

PUBLICIDADE

Segundo o empresário do sul do país, esse movimento recém criado é contrário ao Aliança pelo Brasil, que é um projeto de partido que tem como apoiadores a família do presidente, bem como demais aliados de seu governo.

Ainda de acordo com Aguayo, durante a sua entrevista concedida, ele conta que esse grupo está recebendo orientação de especialistas de direito eleitoral, sendo um movimento que está avaliando quando será dado o start para iniciar o processo de assinaturas para viabilizar o grupo como um partido político.

PUBLICIDADE

Na mesma entrevista que foi veiculada pelo tradicional jornal do estado de São Paulo, não foi feita nenhuma entrevista nem coletado nenhum depoimento do ex-juiz Sergio Moro nem de sua esposa.

Autor