Mortes por coronavírus no Brasil podem ultrapassar a marca de 166 mil até outubro

“O Brasil está em um momento sombrio”, afirmou pesquisador da Universidade de Washington

ANÚNCIOS

Diversos países enfrentam sérios problemas por conta da pandemia de covid-19. A crise não é apenas na saúde, mas também na economia. Por conta de medidas protetivas como o isolamento, vários setores pararam, milhares de pessoas ficaram desempregadas e, com isso também, muita coisa já está faltando no mercado.

Entretanto, a atual perspectiva ainda está distante de mudar, visto que algumas previsões são de que a situação se complique ainda mais. Com números crescentes de disseminação da doença em massa, milhares de pessoas podem perder suas vidas.

Pesquisadores acreditam que a América Latina deve chegar a 388.300 mortes em outubro, com Brasil e México sendo os maiores responsáveis, com 2/3 dentre todos os casos fatais, contando que os demais países controlem seus surtos.

ANÚNCIOS

A América Latina acabou se tornando o epicentro da doença, sendo que atualmente os óbitos ultrapassaram 100 mil pessoas nesta semana e os casos triplicaram de 690 mil, há cerca de um mês, para mais de 2 milhões.

\n\n

Os países não enfrentam apenas o desafio da crise na saúde, mas também a crise financeira, pois já se encontram em um alto índice de pobreza. Muitos setores parados e outros que não podem parar, por conta de necessidades básicas da população, superlotação das cidades, cuidados para a prevenção executados de formas inadequadas, são alguns dos desafios que atrapalham na luta contra a disseminação do vírus.

O diretor do IHME, Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde, dr. Christopher Murray, afirma que o Brasil está passando por um momento sombrio. E, se o governo não tomar medidas mais sérias para diminuir a propagação da doença, ele continuará aumentando seus números de infectados e também de mortes.

Por mais que o atual presidente do país tente minimizar a situação vigente na área da saúde, a verdade é que o Brasil já atingiu hoje 1.188.631 casos confirmados, 53.830 mortes e ainda pode chegar a 340.476 óbitos, se novas medidas não forem tomadas pelo governo.

ANÚNCIOS

Redator FBS

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.