PUBLICIDADE


‘Mulher demônia’ afirma que pediu orientação de Deus para colocar chifres; jovem vem modificando o corpo há 3 anos

Faz 11 anos que Praddo vive no mundo das tatuagens. A moça queria fazer uma pequena tatuagem e conheceu o atual marido, que é tatuador.

Carol Praddo não é uma pessoa da qual você se esqueceria fácil. Aos 35 anos, ela vem se dedicando a modificar sua aparência há três anos. Com tatuagens, próteses dentárias e pigmentação nos olhos, o que mais chama a atenção são os chifres.

PUBLICIDADE


Praddo trabalha em um estúdio de tatuagem e aplicação de piercing e, por isso, acabou recebendo o apelido de “mulher demônia”. Ela afirma não se incomodar com isso e garante que é até bom para a marca profissional.

Faz 11 anos que Praddo vive no mundo das tatuagens. A moça queria fazer uma pequena acabou conhecendo o atual marido, que é tatuador. De lá para cá, foi um interesse crescente nesse universo, até chegar no estado atual.

O marido é conhecido como “Diabão” e foi ele quem começou as modificações mais agressivas, e então foi seguido pela esposa. Carol conta que “uma coisa foi puxando a outra” e que o processo de identificação com essa forma de arte aconteceu aos poucos.

PUBLICIDADE


Carol possui algumas modificações corporais que se destacam, como a pigmentação dos olhos e a divisão da língua. Mas uma adição foi bastante desafiadora para ela, os chifres. Carol é temente a Deus e afirma que procurou orientação divina antes de aplicar os acessórios.

Hoje é a mudança que mais agrada a Carol, mas antes de aplicá-la, ela confessa que conversou muito com seu companheiro e procurou ouvir a voz de Deus. Ela afirma que, com ele, entende que “Ele não é assim e não julga por isso“.

PUBLICIDADE


Sobre o cotidiano, Carol afirma que as pessoas se surpreendem ao conversar porque percebem que ela e seu parceiro não são apenas aquilo que as aparências podem induzir a pensar.

Autor