PUBLICIDADE


‘Não sabia mais quem eu era’, desabafa vítima após sofrer violência doméstica

No Brasil, os números de feminicídio cresceram 22% durante a pandemia.

Em todo o planeta é possível constatar o triste caso de relacionamentos abusivos. De acordo com a ONU, milhões de mulheres sofrem algum tipo de violência doméstica. Ainda segundo um relatório feito pelo órgão, esse número pode chegar a 17,8%.

PUBLICIDADE


Uma dessas histórias é de uma mulher que sofreu agressões em um relacionamento por um período de mais de dois anos. A moça disse que chegou a um ponto de nem saber mais quem ela era.

Fernanda, nome fictício para proteger a vítima, contou em um depoimento sigiloso que quando finalmente conseguiu se separar de seu companheiro, não sabia nem qual era o seu gosto musical preferido.

Fernanda disse que as agressões físicas iniciaram assim que o casal começou a morar junto, uma vez que ela estava desempregada e começou a se sentir cada vez mais dependente dele. As agressões foram se agravando e ele sempre pedia desculpas dizendo que nunca mais faria isso.

PUBLICIDADE


Quando foi gravemente violentada, ela decidiu que mudaria de vida. Primeiro arranjou um trabalho e depois tentou fazer denúncia por cinco vezes, porém, foi um procedimento difícil, uma vez que ela chegou a ser ridicularizada pelo escrivão que contou que ela não tinha marcas de violência.

https://www.instagram.com/gruporeinserir/

PUBLICIDADE


Fernanda conta que levou mais de um ano para conseguir sair desse relacionamento. Entretanto, seu ex-companheiro foi até seu trabalho e a ameaçou, até que a vítima conseguiu prestar uma queixa contra o agressor.

Acima você pode encontrar o perfil do Grupo Reinserir, que pode ser um alento e uma valiosa ajuda para quem está passando por um relacionamento abusivo e precisa de apoio.

 

Autor