in ,

NIterói recebe reforço no combate ao Covid-19: UFF trabalha na produção de testes rápidos

O mundo enfrenta a pandemia do novo coronavirus e muitos países sofrem com um inimigo comum, além do vírus em si: o despreparo. Por exemplo, uma das maiores maneiras de conter a transmissão é a testagem em massa e isolamento de contaminados. O problema é que em exceção de alguns raros casos, como a Coréia do Sul por exemplo, nenhum país consegue alcançar o número indicado.

Neste cenário caótico, o Brasil acaba sendo apenas mais um entre dezenas de nações que tentam achar soluções para o problema. O problema, no entanto, é que além do despreparo, o país sofre com um sistemático corte de verbas para pesquisas e ciência, o que diminui consideravelmente o potencial de Institutos e Universidades em aderir ao combate.

Ainda assim, felizmente, muitos cientistas tem encontrado formas de driblar a falta de investimento federal e criar maneiras de contribuir com aquilo que tem de melhor: o conhecimento. Niterói agora pode contar com um novo aliado na luta contra o novo coronavirus e a ajuda vem de casa. A UFF, através de alunos e professores do Hospital Antônio Pedro, se colocou a disposição.

Motivados pelo eminente colapso dos laboratórios mais acionados, como a Fiocruz e o Lacen, professores se uniram e convidaram alunos para unir forças nessa luta. A ideia é que a produção de testes possa desafogar um pouco as instituições de referência, pelo menos a nível regional. O medo é que o aumento de casos seja maior do que o sistema atual pode absorver.

Ao redor do país, já não são poucas as denúncias de que os resultados estão demorando mais do que esperado para ficarem prontos. Conforme a curva de contagio aumenta, maior será o tempo para o resultado dos exames se outras instituições não encorparem a linha de testagem. É nisso que os professores da Universidade Federal Fluminense estão apostando.

Em boa parte, a iniciativa apenas esta sendo possível pela parceria com a prefeitura municipal de Niterói, já que a UFF é uma das Universidades Públicas do país mais afetadas pelos cortes de verba. Ainda sobre isso, Jorge Reis Almeida, professor da UFF e nefrologista, destaca que todos os alunos que participam do projeto estão sem bolsa.

Divulgação. Fachada do Hospital Universitário Antônio Pedro. Foto de Paula Fernandes

Jorge Reis defende que a sociedade civil precisa entender o trabalho dos cientistas como fundamental e indispensável para o desenvolvimento do país e, portanto, é necessário que haja investimento e financiamento para pesquisas e estudo cientifico no país. As bolsas de pós-graduação de muitos cursos da UFF sofreram cortes e, em alguns casos, nenhuma bolsa foi oferecida.

Mesmo com todas as dificuldades, o site da UFF destaca informações sobre o novo coronavirus. Além da produção de testes, a Universidade também esta engajada na produção de EPIs essenciais de alcool em gel e álcool 70, também seguindo um sistema de voluntariado. A Universidade também disponibilizou uma biblioteca virtual que concentra material sobre o novo virus.

A direção do Colégio Universitário Geraldo Reis da Universidade Federal Fluminense, por sua vez, usou recursos do PNAE para distribuir 400 kits alimentares para alunos dos 3 segmentos. A medida vem sendo adotada por varias escolas públicas do país, isso porque para algumas crianças, a refeição oferecida pela escola é a mais importante e completa do dia.

Divulgação. Imagem de uff.br

Em tempos de Pandemia, a necessidade de estar cada vez mais em sintonia com a comunidade se torna ainda mais acentuada. Por isso, a UFF Campos desenvolve relatórios sobre o impacto do covid-19 na região norte e noroeste do estado. O ‘Atlas Socioeconômico do Norte Fluminense’ é um projeto de mapeamentos diário e análises do impacto da pandemia na região. A inciativa é uma parceria de cientistas de diversas áreas.

São 15 alunos e 5 professores do departamento de geografia, coordenados pela professora Danielle Cintra, que dão vida ao projeto. A iniciativa não deixa de ser também uma maneira eficaz de combate as fakenews já que concentra uma grande quantidade de informações válidas e confiáveis sobre um assunto que tem intensificado o compartilhamento de notícias falsas na internet.

Em Niterói, a UFF também tem organizado pontos de coleta de donativos, além de incentivar a doação de sangue. A união e o privilégio a notícias verdadeiras e confiáveis são duas formas simples, mas eficazes, na luta contra a pandemia do novo coronavirus. Responsabilidade é uma das formas de proteger a si mesmo e a quem você ama.

Escrito por Roberta Reis

Procuro dar preferência a redação de notícias políticas, sociais, curiosidades, casos inusitados e notícias positivas.

O que é o CISP e como ele ajudou na prisão de um traficante internacional que atuava na região de Niterói

Como Niterói se destacou no combate ao coronavirus e tem conseguido conter o numero de contaminações