PUBLICIDADE

‘Nunca o amei’, diz homem que tirou a vida do filho enquanto menino de 5 anos estava internado com sintomas de covid-19

O menino estava internado com sintomas do novo coronavírus, mas foi encontrado já sem vida em sua cama do hospital. Os médicos não suspeitaram de nada.

Há notícias que você não sabe nem como transmitir, como é este caso. Cevher Toktas, de 32 anos, era pai de um menino de apenas 5 anos. O menino estava internado na UTI com sintomas de covid-19, mas Toktas decidiu acabar com sua vida.

PUBLICIDADE

O caso chocou a Turquia, país de origem de Toktas. Ele é jogador da liga semi-profissional do país e atuava pelo Bursa Yildirim. O jogador se entregou para a polícia e sua justificativa para o crime foi ainda mais chocante.

O menino estava internado com sintomas do novo coronavírus, mas foi encontrado já sem vida em sua cama do hospital. Os médicos não suspeitaram de nada, a princípio acreditou-se que o menino havia morrido em decorrência da doença.

A morte do menino nem foi investigada, apenas a causa da morte foi apontada como asfixia. Como uma das complicações do covid-19 é o comprometimento das vias respiratórias, a história não teria mais desdobramentos.

PUBLICIDADE

Acontece que o próprio Toktas procurou a polícia para confessar ter tirado a vida do filho. “Asfixiei meu filho”, afirmou. Ele explicou, em depoimento, que segurou um travesseiro contra o rosto da criança por cerca de 15 minutos.

A justificativa conseguiu chocar o país ainda mais. Toktas afirmou para a polícia que nunca havia amado o filho. “Desde que nasceu, nunca o amei”, declarou. Tudo fica ainda mais dramático porque ele era o filho mais novo de Toktas.

PUBLICIDADE

Toktas poderia ter se livrado da acusação de homicídio, já que não houve autópsia e ninguém suspeitava dele. O crime aconteceu no dia 23 de abril, mas apenas no dia 12 de maio ele se apresentou a polícia confessando o crime.

Ainda em depoimento, ele destruiu uma das únicas argumentações possíveis para a defesa dele mesmo. “Não tenho problema mental”, afirmou. “Apenas não o queria, nunca o amei, não sei porque”, declarou. Agora ele vai responder por homicídio.

Autor