PUBLICIDADE


Padre da Basílica de Trindade é sócio de rádio que recebeu R$ 96 milhões da Afipe, fundada por padre Robson, diz MP

O pároco já deu uma entrevista ao Fantástico negando desvio do dinheiro que era doado pelos fiéis.

Padre Antônio Carlos de Oliveira, 64 anos de idade, é sacerdote em Trindade, na Basílica do Divino Pai Eterno e ele também foi citado no processo movido pelo MP-GO. Esse padre é apontado como sócio de uma rádio em Goiânia que teria recebido uns R$ 96 milhões da Afipe, associação fundada por padre Robson.

PUBLICIDADE


No processo movido pelo MP-GO está sendo investigando o suposto desvio do dinheiro que era doado pelos fiéis de todo Brasil e que pode ter ido para uma rádio em Goiânia. A emissora pode ter recebido 37 transferências que totalizaram o valor de R$ 96 milhões.

O dinheiro foi transferido de uma das Afipes fundadas por padre Robson. O Ministério Público informou que a suspeita de que estava sendo feita lavagem de dinheiro se deu pela ‘elevada quantia’ de dinheiro transferida.

Foi a partir da investigação dessas movimentações financeiras das Afipes do religioso que surgiu a Operação Vendilhões, que está apurando o desvio de milhões de reais das entidades.

PUBLICIDADE


A Ordem Redentorista de Goiás, a qual padre Antônio Carlos pertence, até o momento não quis comentar sobre o caso. O portal G1 tentou entrar em contato com um sócio do padre, Anderson Reiner Fernandes, mas também não conseguiu falar com ele.

Os advogados de defesa do padre divulgaram uma nota informando apenas que irão se pronunciar assim que tiverem acesso a todas as informações.

PUBLICIDADE


Três entidades estão sendo investigadas pelo MP-GO, todas foram criadas por padre Robson e têm os nomes semelhantes, por isso os investigados as chamam de ‘Afipes’.

Fiéis do Brasil inteiro que contribuíam fazendo doações acabaram ficando divididos e enquanto uns acreditam que a inocência do padre ainda será provada, outros já pararam com os donativos e acham que o caso precisa mesmo ser investigado.

 

Autor