PUBLICIDADE


Padre Robson teria comprado casa de luxo na Bahia com dinheiro de doações; ele é suspeito de desviar de R$ 60 milhões

O religioso é pároco na Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade, Goiás, e está sendo alvo de uma investigação.

Segundo a revista Época, o padre Robson de Oliveira está sendo apontado como líder de uma organização criminosa em Trindade, Goiás, que teria desviado R$ 60 milhões que foram doados pelos fiéis de todo Brasil.

PUBLICIDADE


Ainda de acordo com a Época, as doações foram usadas até para a compra de uma casa na Praia de Guarajuba, que fica na Bahia, conforme apontou o MP de Goiás. A operação teve início na manhã desta sexta-feira (21), surpreendendo os fiéis de todo o Brasil, que sempre tiveram muita estima pelo sacerdote.

Essa casa na praia teria sido comprada em 2014, pelo valor de R$ 2 milhões, sendo que o pagamento foi à vista e a aquisição teria sido feita pela Afipe – Associação Filhos do Pai Eterno, que foi criada por Padre Robson e até hoje é presidida por ele.

A matéria divulgada pela revista Época informou que a compra da casa na praia foi realizada pela empresa Sistema Alpha de Comunicação, que está sendo investigada também.

PUBLICIDADE


Os investigadores estão analisando outras aquisições feitas, como a de uma chácara que tem casa com paredes de vidro, piscina aquecida e até um ofurô. Essa propriedade foi alvo de busca e apreensão na manhã de hoje.

O Ministério Público inclusive pediu a prisão de padre Robson, mas a juíza Placidina Pires negou a solicitação. A Afipe movimentou cerca de R$ 120 milhões nestes últimos três anos, e o Judiciário alega que R$ 60 milhões chegaram a ser desviados.

PUBLICIDADE


Autor