PUBLICIDADE


Padre Robson teve grande prejuízo em suas negociações, segundo MP; ele é investigado por lavagem de dinheiro

O Ministério Público acredita que boa parte das doações que os fiéis fizeram à Afipe, foi desviada.

O padre Robson de Oliveira Pereira está sendo investigado, ele é suspeito de lavagem de dinheiro e o Ministério Público revelou que chamou a atenção o fato de que várias negociações imobiliárias trouxeram grande prejuízo para a Afipe – Associação Filhos do Pai Eterno.

PUBLICIDADE


A Afipe é quem realizava as negociações, sendo que a mesma foi criada e é presidida por padre Robson, para o MP não há dúvida de que ele é líder de uma organização criminosa que vinha fazendo lavagem do dinheiro doado por fiéis de todo país.

O Ministério Público chegou a citar o exemplo de um terreno na cidade de Trindade, que em 2010 foi adquirido pela Afipe pelo valor de R$ 485 mil. Depois de dez anos, esse terreno foi vendido à empresa KD Administradora de Bens pelo mesmo preço. O valor desse imóvel, corrigido pela inflação do período, seria de R$ 820 mil.

Ainda segundo o Ministério Público, a empresa KD Administradora de Bens chegou a negociar ‘dezenas de imóveis’ com a Afipe e sempre tendo grande prejuízo para a associação presidida por padre Robson.

PUBLICIDADE


Vale ressaltar que a KD Administradora de Bens é do senhor Douglas Reis, que é proprietário da Kurujão, uma das maiores redes de postos de combustíveis no estado de Goiás.

Ainda foi revelado que a Auditec, empresa de contabilidade que presta serviço para a Afipe, é a mesma que cuida da contas da KD Administradora de Bens. Para o Ministério Público, esta contabilidade montou todo o esquema para cobrir as negociações no entorno do padre Robson.

PUBLICIDADE


 

Autor