PUBLICIDADE

Papa Francisco faz um aviso a todos: “Deus pode tudo, menos uma coisa”

O Papa Francisco enviou uma mensagem simples, porém, poderosa, sobre o poder de Deus.

Com a chegada da pandemia da nova doença do coronavírus, diversas pessoas alegam que o vírus seria um castigo de Deus. Porém, a maioria não considera essa possibilidade, incluindo o papa Francisco. O líder religioso se mostrou muito ativo diante da nova doença que mata milhares de pessoas ao redor do mundo todos os dias.

PUBLICIDADE

Papa Francisco costuma dar declarações que acalmam o coração dos fiéis em todos os cantos do planeta. Por esta razão, muitos sempre esperam por um posicionamento do líder religioso.

No dia 29 de outubro do ano de 2015, o papa argentino jogou no ar uma mensagem breve e simples, mas muito poderosa, capaz de perdurar na mente durante todos esses anos e para além. Na ocasião, falou sobre o amor de Deus e a única coisa que Ele não poderia fazer.

Para o líder religioso, Deus ama seus filhos com uma força extrema, e esse amor acaba se transformando em sua maior fraqueza. É apenas por amor que Ele não pode forçar ninguém a corresponder esse sentimento.

PUBLICIDADE

Continua na próxima página

O papa explica que o presente de Deus está na frente de todos os homens e todas mulheres. Cabe a cada um decidir o que fazer com o regalo, abraçá-lo e o aceitar ou rejeitá-lo.

PUBLICIDADE

Coronavírus

O papa Francisco não perdeu tempo e, no pico da pandemia, realizou todos os testes para saber se tinha sido contaminado ou não pelo Covid-19. Todas as pessoas do Vaticano também realizaram exames para tomarem conhecimento sobre suas saúdes.

Até o momento, não existe uma vacina confirmada oficialmente. O que se tem são informações de uma possível fórmula de imunização em estudo avançado, que poderia proporcionar uma imunidade de até 1 ano contra a doença.

Enquanto a pandemia não é controlada, o vírus continua matando pessoas todos os dias. Mais de 8 milhões de casos foram confirmados no mundo, já resultando em quase meio milhão de mortes.

PUBLICIDADE

 

Autor