PUBLICIDADE


Para sair do Paraguai, Ronaldinho precisou pagar multa alta e parte do dinheiro ajuda no tratamento de menina paraguaia com doença rara

A passagem de Ronaldinho pelo Paraguai tinha tudo para ser apenas um compromisso profissional, mas acabou se tornando um grande pesadelo na vida e carreira do ex-atleta.

A passagem de Ronaldinho pelo Paraguai tinha tudo para ser apenas um compromisso profissional, mas acabou se tornando um grande pesadelo na vida e carreira do ex-atleta. Pelo uso de documentos falsos, o ex-jogador acabou sendo preso no país.

PUBLICIDADE


Mesmo sem evidências de que Ronaldinho fosse parte do esquema criminoso, a Justiça paraguaia manteve o ex-atleta preso junto ao irmão Assis. Agora, com o avanço das investigações, os dois finalmente foram liberados para voltar ao Brasil.

No entanto, para sair do Paraguai, os irmãos precisaram desembolsar mais de R$1 milhão em multa no país. O valor pago teve uma parte destinada a ajudar no tratamento de uma criança paraguaia que sofre de atrofia muscular espinhal.

Bianca Patiño Maiz, de quase 2 anos, acabou sendo beneficiada com um valor de quase R$170 mil, que vai ser destinado a compra do “remédio mais caro do mundo”. O medicamento precisa ser importado e custa cerca de US$2,1 milhões.

PUBLICIDADE


O valor é absurdamente elevado e transformou o remédio no “mais caro do mundo”. A droga promete curar crianças vítimas de AME em uma única dose, mas para isso alguns critérios precisam ser cumpridos. Bianca, por exemplo, corre contra o relógio.

Acontece que o remédio é destinado a crianças com menos de dois anos de idade e não é indicado para crianças maiores do que essa idade. Com um ano e 7 meses, Bianca está próxima do limite de idade e o valor recebido agora é uma grande contribuição.

PUBLICIDADE


Autor