PUBLICIDADE


Pastor acaba recebendo voz de prisão por desobedecer toque de recolher para manter igreja aberta: ‘ainda tem profeta de Deus na Terra’

Pelo previsto no decreto municipal, a igreja devia ser fechada as 20h. Situação ainda se complicou.

Paulo Ferreira é pastor fundador de um templo religioso em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, e agora está com problemas na Justiça por ter se negado a fechar as portas da igreja. O pastor se recusou a cumprir o toque de recolher e desacatou autoridades.

PUBLICIDADE


Segundo informações do Primeiro Impacto, do SBT, Paulo deveria fechar as portas da igreja até as 20 horas, mas não aceitou o decreto. Questionado, ele afirmou estar “seguindo a ordem de Deus”, mas o verdadeiro problema ainda estava por vir.

O pastor recebeu uma visita da fiscalização no dia anterior, quando agentes sanitários observaram o descumprimento das medidas previstas em decreto. Além de fiéis sem o uso de máscaras, o local tinha superado a capacidade máxima, de 30%.

Por isso, os agentes voltaram a igreja no dia seguinte para entregar o auto de infração, que deveria ser assinado pelo pastor, mas acabou sendo rasgado. Paulo se recusou a assinar o documento e ainda rasgou o papel em frente a fiscalização.

PUBLICIDADE


O pastor acabou detido por desacato e por infringir a medida sanitária prevista em decreto. O líder religioso argumentou dizendo que estava cumprindo a vontade de Deus e ainda alertou os fiscais de que “ainda existe profeta de Deus na Terra”.

O caso dividiu opiniões, porque muitos cristãos acreditam que a igreja deve seguir as medidas preventivas, mas também existe um grupo que defende que medidas como toque de recolher não devem se aplicar a templos religiosos.

PUBLICIDADE


Autor