PUBLICIDADE


Pastor Anderson pode ter bancado a própria morte sem saber e Flordelis é investigada

Os investigadores acreditam que bens do pastor foram utilizados para pagar a morte dele.

A morte do pastor Anderson do Carmo continua sendo um grande mistério e agora os investigadores estão analisando alguns bens da vítima que simplesmente desapareceram após o crime.

PUBLICIDADE


O pastor costumava carregar uma mochila de couro e quando morreu havia uma boa quantia em dinheiro nela, só que tudo sumiu, assim como sua coleção de relógios caríssimos. Para a Polícia Civil, o mais provável é que estes itens foram todos usados para pagar a morte dele.

Tais suspeitas surgiram após ser confirmado um plano para matar o pastor e Lucas Cézar teria recebido a proposta de matar o pai adotivo em troca de R$ 5 mil, sendo que este era o valor que costumava ter na mochila.

Lucas disse em seu depoimento que não tem ideia de onde está o dinheiro e nem os relógios. A polícia questionou Flordelis se ela chegou a ver um dos filhos com a mochila do pastor, mas ela negou.

PUBLICIDADE


Segundo as investigações, Flordelis vinha planejando a morte do pastor e começou a pressionar Lucas para matá-lo ou encontrar alguém que pudesse fazer isso. A deputada também pode ter usado Marzy Teixeira para conseguir colocar seu plano em ação, já que ela queria sempre agradar a parlamentar.

Quando Flordelis e Anderson chegaram em casa na madrugada em que o crime aconteceu, Marzy foi quem avisou a Flávio sobre o casal. O delegado responsável pelo caso informou que Flordelis enviou uma mensagem para Marzy, que em seguida avisou a Flávio.

PUBLICIDADE


 

Autor