PUBLICIDADE

PM afirma ter recebido R$ 16,5 mil em espécie de Flávio Bolsonaro e que o valor ‘pode ser carregado no bolso’

O policial explicou ter recebido o dinheiro do deputado, porém não soube dizer se recebeu tudo de uma só vez.

O Policial Militar, Diego Sodré de Castro Ambrósio, investigado por suspeita de estar envolvido no esquema de “rachadinha” do deputado estadual Flávio Bolsonaro, fez algumas revelações sobre o dinheiro que teria recebido do filho do atual presidente do Brasil.

PUBLICIDADE

O MPF (Ministério Público Federal) estaria na cola de ambos realizando uma investigação com suspeita de lavagem de dinheiro. Recentemente, Diego falou do episódio em que foi pagar um boleto de mais de R$ 16 mil reais para a esposa do senador.

O policial recebeu de Flávio Bolsonaro todo o valor em espécie. Segundo Sodré, ele teria ido pagar o valor de R$ 16 mil reais e não se recorda quanto devia no banco.

O valor para ele não tinha chances de ultrapassar a casa dos R$ 5 mil reais. Porém, mesmo após pagar o boleto, ficou devendo R$ 21 mil reais.

PUBLICIDADE

Não sabia como ia fazer para pagar a quantia e nem mesmo porque ela estava sendo cobrada. “Quando paguei a conta de R$ 16,5 mil, passei a dever R$ 21 e como eu ressarci essa conta?”, disse o policial.

Logo em seguida, ele explicou que tirou todo o dinheiro de sua empresa pessoal e ficou zerado. Durante um churrasco o filho do atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, entregou o valor para Diego.

PUBLICIDADE

Ambrósio não foi capaz de dizer se a quantia foi paga toda de uma vez só ou dividida em parcelas. Ressaltou que se trata apenas de R$ 16 mil reais e não R$ 1,6 milhão de reais.

Para o policial, este valor é possível se carregar dentro do bolso. “Não vou te precisar se ele me pagou R$ 16 mil no outro dia, se ele me deu R$ 5 mil em um dia, R$ 3 no outro, entendeu? Aí eu não tenho como lembrar… A gente está falando de R$ 16 mil, não de R$ 1,6 milhão. É um dinheiro que você carrega no bolso”.

 

Autor