PUBLICIDADE

Polícia descarta ouvir um novo depoimento de Monique Medeiros e defesa se manifesta: ‘a quem interessa silêncio?’

O caso deve ser encerrado nessa semana.

Os investigadores do caso Henry Borel pretendem encerrar o inquérito da morte do menino até sexta-feira (23). A defesa de Monique tenta a chance de um novo depoimento, mas os delegados que comandam o caso já tratam o caso como descartado.

PUBLICIDADE

Para os investigadores, não existem dúvidas de que a omissão de Monique foi decisiva para o desfecho do caso. A defesa alega que Monique também era agredida e sofreu coerção de Jairinho, que teria manipulado a narrativa dos fatos.

A decisão é do delegado Henrique Damasceno, que ainda não se manifestou. No entanto, o delegado Antenor Lopes confirma que não há clareza do que Monique poderia adicionar em um novo depoimento.

“Sinceramente, não sei o que ela teria a acrescentar na investigação agora que toda a versão dela foi desmontada. Já temos elementos para encerrar a investigação. Ela já mentiu. Quem garante que vai dizer a verdade agora?”, avaliou.

PUBLICIDADE

Nas primeiras semanas de investigação, Monique e Jairinho dividiram o mesmo advogado e adotaram a mesma narrativa dos fatos. Monique mentiu na tentativa de proteger a si e ao namorado, avaliam os investigadores.

A defesa argumenta que ela mentiu sob pressão de Jairinho, alegando ainda que ele é um homem violento e perigoso. Sob argumento de que Monique tinha medo de Jairinho, a defesa afirma que ela vai falar a verdade agora que ele está preso.

PUBLICIDADE

Ainda existe uma pequena chance de que o delegado Damasceno aceite ouvi-la, mas a tendência é outra.

Autor